<style> .wpb_animate_when_almost_visible { opacity: 1; }</style>

PERDAS E DESPERDÍCIOS DE ALIMENTOS

Por Dra. Roseane Bob - Diretora e Fundadora VegQuality

De acordo com a FAO (Food and Agriculture Organization of The United Nations) 54% do desperdício de alimentos no mundo ocorre na fase inicial da produção, que é composta pela manipulação pós-colheita e pela armazenagem, os outros 46% do desperdício, de acordo com a mesma fonte, ocorrem nas etapas de processamento, distribuição e consumo.

Considera-se desperdício todo o tipo de perda  relacionada à decisão de descartar alimentos que ainda estão próprios para o consumo. O desperdício está associado  ao comportamento dos produtores, supermercadistas, varejistas e consumidores. O Brasil está na lista dos países que mais desperdiçam alimentos no mundo. 

Perda é quando o descarte não é intencional. As perdas ocorrem em toda a cadeia produtiva desde a produção  de alimentos até os pontos de distribuição ao consumidor.

Politicas governamentais visando a redução das perdas e desperdícios são uma importante ferramenta em acoes para redução das perdas e desperdícios de alimentos no Brasil e no mundo. 

Anualmente, 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são perdidos ou desperdiçados na cadeia de alimentos, o que corresponde a 30% da produção mundial, segundo dados da FAO/ONU (Food and Agriculture Organization of the United Nations). 

No Brasil, as perdas no processo de comercialização de frutas e hortaliças superam 30% do total produzido, enquanto em outros países o desperdício não passa de 10%. O  índice de desperdício de hortaliças chega a 55% na pós-colheita, ou seja, a maior parte do que é plantado se perde em meio a essa etapa  da cadeia produtiva e não chega à mesa do consumidor. Faz-se importante ressaltar que 20% desses alimentos  são perdidos ainda na sua produção, ou seja, sobram apenas 35%, que chegam à mesa do consumidor em condições próprias para o consumo. 

Um dos principais problemas das perdas das frutas e hortaliças nas fases de produção e pós colheita são os riscos vinculados à má gestão destas importantes etapas, assim como falhas e erros no processo associado à falta de infraestrutura.

Abaixo citamos alguns exemplos:

o   Produção: Pragas e doenças no campo, aplicações erradas de agroquímicos, condições climáticas desfavoráveis;

o   Colheita: Danos físicos, manuseio inadequado, containers inadequados;

o   Infraestrutura: ausência da cadeia de fria  desde a colheita ao ponto de distribuição, degradação das frutas durante o manuseio e armazenamento.

o   Transporte e logística inadequados- Danos mecânicos , contaminação , perda da qualidade 

o   Embalagens  ineficientes na conservação dos alimentos

Um dos pontos críticos de controle do pós-colheita no hortifrúti é a rapidez com que os alimentos são colocados sob refrigeração. Essa ação garante que as frutas, verduras e legumes sejam conservados adequadamente, apresentando uma boa aparência, pigmentação viva, aromatização natural e sabor, além de o alimento ficar na prateleira/gôndola por mais tempo sem estragar ou ter sua qualidade alterada.

Aspectos Ambientais

A cadeia de produção e distribuição de alimentos necessita de água, terra, adubos minerais, pesticidas, energia elétrica e combustíveis fósseis. O alimento que vai para o lixo carrega junto com ele todos esses recursos que foram consumidos durante o seu processo de produção causando impactos ambientais na atmosfera e na biodiversidade. Os custos ambientais do desperdício de alimentos já estão sendo sentidos através dos impactos do clima e escassez de recursos naturais. Caso essa essa situação persista será sentido mais fortemente pelas próximas gerações 

Aspectos Econômicos 

Tomando por base a realidade supermercadista, o prejuízo com perdas e desperdícios no Brasil chega a R$ 7,1 bilhões ao ano (o equivalente a mais da metade do valor total da produção de frutas e hortaliças produzidas), sendo o segmento de FLV (frutas legumes e verduras) o líder das perdas. As perdas e desperdícios também contribuem para aumentar os preços e tornar os alimentos menos acessíveis à população de baixa renda. 

 Como Reduzir as Perdas e Desperdício

Acreditamos que inicialmente faz-se necessário a conscientização do problema incluindo todos os envolvidos (Governo, Cadeia de Produção, Distribuição e Consumidor Final), e na sequência entender e quantificar, onde e porque o problema ocorre, visando elaborar um plano estratégico de prevenção de perdas e desperdícios. 

Reduzir as Perdas e Desperdícios é responsabilidade e dever de cada um de nós! Vamos começar a adotar ações mais efetivas?



+(55 11) 3199-0272
+(55 11) 99001-7851
sac@vegquality.com.br
Avenida Brigadeiro Faria Lima, 1485- 1º e 2º andar
Jardim Paulistano - CEP: O1451- 001 - São Paulo-SP
|